FADEINFESTIVAL 2012

Os SENSIBLE SOCCERS apresentam-se de forma descontraída, parodiando com a conjuntura, e caricaturando a sua arte, senão reparem: (somos) “um quarteto que pratica um futebol muito sensível, muito meigo e com muito carinho”. Dizem que são influenciados por Diego Armando Maradona, por Frank Zappa e por Steve Reich, o que é o mesmo que dizer, afinal, que bebem referências nos melhores mestres de cada área artística específica. Mas a banda vai (ainda) mais longe e reivindica para si a amálgama sonora que a “música psicadélica americana, alemã, inglesa, angolana, escocesa e música minimal repetitiva” pode dar. E que resultado é este afinal? Porque não chamar-lhe de pós-rock psicotrópico electrónico e orgânico? A música dos SENSIBLE SOCCERS é propícia a viagens introspectivas, mas nem por isso amorfas. A banda, que recentemente dividiu o palco com os mundialmente emergentes Twin Shadow, vem ao FADEINFESTIVAL 2012 para encerrar “com calma, muita calma” mais um ano pleno de actividades deste diferenciado e eclético certame leiriense…

missé-misséfernanda
eurobonds
zaire 1974

SENSIBLE SOCCERS

Os THESE ARE MY TOMBS são um virtuoso trio de músicos que usam a sua mestria na construção de um pós-prog-metal instrumental suculento, de barba rija, incisivo, que nos remete para imagens tipológicas pós-apocalípticas, ásperas e estranhamente belas… Esse apelo agiganta-se com os crescendos sónicos característicos do género que aqui se revelam em descargas de riffs distorcidos, em uppercuts rítmicos que nos levam, sem contemplações, ao tapete. Luís Diogo, Samuel Pedrosa e Tiago Cardoso, todos eles com passagem e bagagem artística adquirida em projectos díspares anteriores têm em THESE ARE MY TOMBS, para já, a sua mais consistente, refinada e personalizada proposta musical, não sendo estranho, por isso, que tenham sido convidados pela FADE IN para celebrar o episódio final da edição de 2012 do seu exigente festival.

tidal
macodal
angry storm (ao vivo na sala de ensaios)

THESE ARE MY TOMBS

SENSIBLE SOCCERS + THESE ARE MY TOMBS
8 DEZEMBRO – BEAT CLUB – LEIRIA
Abertura de portas: 23h00
Acesso: €5,00 + Consumo mínimo de uma bebida
Informações: fadein@fadeinfestival.com

Chamam-se FATHER MURPHY, chegam-nos de Itália, mas podiam chegar dos Estados Unidos, onde não há muito tempo dividiram palcos com os Xiu Xiu e Deerhoof. O grupo, que apresenta um naipe de híbridos vários que vão da música experimental ao dark-folk, do indie-rock ao pós-rock, do doom ao shoegaze, é referido como um dos que Michael Gira (líder dos Swans) mais admira na actualidade. De resto, o trio constituído por Freddie Murphy, Chiara Lee e Vittorio Demarin, traz na bagagem “Anyway, your children will deny it”, o seu quarto longa duração – um disco de sonoridades intensas, recheado de canções quase holográficas, que se revelam audição após audição, e repleto de vozes que nos remetem frequentemente para a obra dos sempre recomendáveis A Silver Mt Zion. É este o universo dos FATHER MURPHY: difícil mas criativo, denso mas empolgante, por vezes doentio, outras vezes regenerador…

in the flood with the flood
in their graves
there is a war
their consciousness
it is funny, it is restful, both came quickly

FATHER MURPHY


FOTO: Hugo Pereira

Os portugueses FIRST BREATH AFTER COMA revelam uma maturidade composicional pouco comum para uma formação com músicos ainda tão jovens. A rodagem deu-se, por certo, na anterior incarnação, denominada de Kafka Dog, onde entre garagens bolorentas e clubes fumarentos experimentavam clássicos que iam dos Joy Division aos Doors, de Iggy Pop a Velvet Underground, não descurando a incurssão por alguns originais onde se notavam influências com doses equitativas de grunge e post-punk… Esse passado ainda recente serviu de ignição e de crescimento para os músicos mas nada tem a ver com aquilo que os FIRST BREATH AFTER COMA são. E o que são afinal? Um segredo por descobrir, uma pérola por burilar. Uma lufada de ventos frios que vem da Islândia, adensa nos trópicos e acaba a beijar, ao de leve, as praias quentes das Caraíbas… Roberto Caetano, Telmo Soares, Rui Gaspar, Pedro Marques e Isabel Santos passam pelo FADEINFESTIVAL 2012 porque venceram o ZÚS! ( ver aqui o que foi ), mas passariam na mesma se tal não tivesse acontecido! E isso, quer dizer muito.

shoes for the man with no feet (ao vivo no estilhaços 2012)
dead man tell no tales (ao vivo no estilhaços 2012)
in the bright (ao vivo no estilhaços 2012)

FIRST BREATH AFTER COMA

FATHER MURPHY + FIRST BREATH AFTER COMA
10 NOVEMBRO – BEAT CLUB – LEIRIA
Abertura de portas: 23h00
Acesso: €5,00 + Consumo mínimo de uma bebida
Informações: fadein@fadeinfestival.com


 ERICA BUETTNER | portugal   JOHN AND JEHN | frança    LE SKELETON BAND | frança MANU DE LA ROCHE | portugal   MATT ELLIOTT | inglaterra   NICE WEATHER FOR DUCKS | portugal   YESTERDAY | portugal  É difícil, por vezes, arranjar adjectivos que qualifiquem com precisão a arte de MATT ELLIOTT. Ele não é um músico. É um feiticeiro que nos arrebata no seu encanto. Ele não é um músico. É um exorcista que nos espanca os sentidos. Ele não é músico. É um hipnotizador que nos embarca nas mais fascinantes viagens dos medos. Ele não é músico. Não é um músico qualquer. É um grande músico compositor poeta e cantor, com uma carreira fortemente personalizada, com uma mão cheia de discos obrigatórios na colecção dos melómanos mais criteriosos, que no seu regresso ao FADEINFESTIVAL voltou a “sair em ombros”. MAGNÍFICO!  Oito anos depois YESTERDAY, o projecto do extraordinário escritor de canções Pedro Augusto, voltou ao FADEINFESTIVAL. Desta vez o músico foi acompanhado por Valter Santos que assim fez a sua entrada oficial para o projecto que entretanto passará a banda com três elementos. Da algibeira tiraram um punhado de canções de grande estirpe e intimismo, algumas delas da melhor colheita nacional de sempre, capazes, naturalmente, de ombrear com qualquer grande nome mundial da mesma casta estética. Electrónica e orgânica envoltas numa voz que sussurra e beija ao mesmo tempo

Advertisements